cc selo

O Rito Criptico é, de acordo com a Enciclopédia Maçônica de Coil, "um dos menores, mas um dos mais importantes e certamente um dos mais curiosos de todos os ritos". Pois "Criptico" vem do Grego krypte que significa "oculto, escondido ou segredo" e assim veio significar uma caverna ou outro lugar subterrâneo oculto.

Os graus Crípticos são centrados em histórias que envolvem uma cripta sob o Templo do Rei Salomão em Jerusalém, onde certos “tesouros” foram escondidos para propósitos muito específicos. Eles foram primeiro chamados "Tesouros Crípticos" por Rob Morris, um Maçom muito influente de 1800.

A razão de sua importância é que ele completa uma importante alegoria maçônica. A Maçonaria sendo filosófica, ensina seus ideais por alegorias ou histórias. Esta filosofia é, porém, moralista e religiosa. Mas a Maçonaria não é uma religião, nem um substituto para tal. Uma das exigências para a associação é a crença em Deus. É mandatório que um homem professe uma crença em um Ser Supremo antes de se tornar um maçom. A Maçonaria nunca tenta alterar as convicções de qualquer um. Ela não oferece qualquer teologia ou plano de salvação. Porém, oferece um plano moral para ser usado neste mundo.. deixando o Maçom livre para buscar sua própria religião salvadora.

Maçonaria Críptica consiste em dois graus: o grau de Mestre Real e o grau de Mestre Escolhido. Estes originalmente não têm nenhuma relação entre si e só foram combinados em um Rito depois que já existiam por muito tempo.
Somente pode ingressar nos Graus Crípticos os maçons que receberam o grau de Maçom do Real Arco.